Prevenção é o melhor remédio: tire suas dúvidas sobre o sarampo!

Prevenção é o melhor remédio: tire suas dúvidas sobre o sarampo!

Mesmo sem nenhuma confirmação de caso de sarampo na cidade, a Prefeitura de Cordeirópolis está em alerta por conta dos surtos da doença que estão ocorrendo em nossa região. Em razão disso, a Secretaria de Saúde reforça a importância do cidadão procurar a unidade de saúde mais próxima de sua residência para atualizar a carteira de vacina e, caso não tenha recebido a imunização, todas as unidades possuem as doses para serem aplicadas.

Mas você sabe o que é a doença do sarampo? Quais são os sintomas e como preveni-la? Abaixo preparamos algumas perguntas e respostas para responder as possíveis dúvidas da população.

O que é o sarampo? 
É uma doença viral aguda, altamente transmissível que pode apresentar complicações, principalmente em crianças e pessoas com imunidade comprometida.

Como se dá o contágio do sarampo?
Acontece por meio de secreções respiratórias. Os indivíduos expostos podem adquirir a infecção através de gotículas veiculadas por tosse ou espirro, por via aérea.

Quais são os sintomas da doença? 
Febre, mal-estar, coriza, conjuntivite, tosse e falta de apetite.

Como é feito o diagnóstico?
O diagnóstico deve ser confirmado por exames de sangue.

Como funciona o tratamento?
As complicações bacterianas do sarampo devem ser tratadas especificamente, com antibióticos adequados para cada quadro clínico.

Quem não pode tomar a vacina? 
Pessoas com hipersensibilidade sistêmica e com sistema imunológico debilitado. A vacina também não deve ser administrada em grávidas, nem em mulheres que pretendem engravidar.

Como se prevenir? 
– Para todas as crianças de 12 meses a menores de sete anos (seis anos, 11 meses e 29 dias): devem tomar uma dose aos 12 meses (tríplice viral) e a segunda dose aos 15 meses (tetra viral);

– Pessoas de sete a 29 anos que não foram vacinadas anteriormente: devem receber duas doses da vacina tríplice viral, com o intervalo mínimo de 30 dias entre elas;

– Pessoas de 29 até 59 anos de idade completos em 2019 (nascidos a partir de 1960) que não foram vacinados anteriormente: devem receber apenas uma dose da vacina tríplice viral.